Berserk( 2017) Crítica- Episódio 3

Depois de uma semana de espera e após 2 episódios seguidos de Berserk 2017, surge finalmente seu terceiro episódio, que trouxe consigo uma sensação agridoce em minha boca. Primeiramente, porque descobri qualidades desse anime nos quais não havia reparado antes, ao mesmo tempo que descobri mais defeitos que não havia reparado.

Esse episódio me deu uma ideia das melhorias e dos problemas de Berserk 2017 e do quanto alguns problemas estão sendo solucionados de forma sutil. É um episódio difícil de se falar, já que ao mesmo tempo que temos cenas com CG mais bem animado temos cenas com o CG mal animado, enquanto temos cenas bem dirigidas, temos também cenas igualmente mal dirigidas, tudo em uma proporção equilibrada. O motivo desse episódio ter aberto minha mente para perceber novos defeitos foi justamente esse, graças as cenas bem dirigidas consegui ter uma base maior para reparar as mal dirigidas e graças aos melhores modelos em CG consegui perceber ainda mais os defeitos dos outros modelos CG.

Tudo isso acontece graças a comparação, como disse anteriormente no post sobre o terceiro episódio, a comparação pode ser de ajuda em uma melhor imparcialidade, já que com ela relativizamos, percebemos defeitos e qualidades de uma coisa e de outra, percebemos o que uma acertou e outra errou, não existe uma pessoa bonita se uma feia para se comparar. Afinal o que faz um produto ser de qualidade se não ser superior a um produto sem qualidade ?

No post sobre a primeira temporada usei como base de comparação o anime de 1997 e no post sobre os episódios 1 e 2 o game de ps2  mas como recebi algumas criticas sobre essas duas comparações nesse post farei diferente. Irei comparar as qualidades do próprio anime com seus defeitos, já que é um arco que nunca foi adaptado antes isso pode ser de ajuda na crítica.

Em geral foi um mal episódio ?  Como dito anteriormente, esse episódio foi bastante equilibrado entre erros e acertos, tão equilibrado em minha opinião que seria digno de receber uma nota 5 de meio bom e meio mal , em relação aos outros episódios já considero acima da média.  Mas o episódio também pode servir como uma luz de esperança para os próximos episódios, já que existe uma possibilidade das qualidades citadas serem ressaltadas e os defeitos serem corrigidos, ainda existe fé, esse anime não está 100% perdido. Já que minhas críticas anteriores foram criticadas por serem muito negativas começarei o post ressaltando as qualidades que o episódio mostrou mas anteriormente falemos um pouco sobre o episódio em geral.

Episódio 3

BB.png

O roteiro desse episódio está muito bem equilibrado e bem distribuído, em geral cumpre com sua função. Um dos méritos desse anime é o roteiro, embora não tenha a melhor das execuções sabe ressaltar em sua história o melhor do material original, equilibrado em uma experiencia redonda de 20 minutos com inicio meio e fim. Até agora os 2 últimos episódios que saíram souberam  ter um arco temático em cada episódio e uma conclusão de forma isolada, um grande mérito dessa animação.

Sobre o que é o episódio ? O episódio tem 3 histórias diferentes, duas são interligadas , usa de uma que é uma pequena trama para ajudar na transição entre a primeira e a terceira, sendo que somente a mini trama está ligada aos nossos personagens principais, o que é diferente, já que a maior parte das vezes a trama gira em torno de Gatts.

A primeira trama é sobre Griffith , agora com seu corpo reencarnado, lutando contra os Kushans e salvando os reféns, com  a ajuda de seu novo exercito. A mini trama que funciona como transição de tempo para a outra história é sobre Gatts aceitando a ajuda de seus novos companheiros e a ultima é sobre um cavaleiro novato prestes a ser introduzido ao  novo bando do falcão.

A primeira história creio que é a melhor executada, já que é sobre combates e uma coisa que o CG não incomoda  tanto são as lutas. As lutas não tem necessidade de ter expressões  faciais e sim melhores movimentos, impactos nos golpes, peso nas armas, texturas nas armaduras e isso é uma coisa que o anime consegue fazer.  Existem algumas lutas como o combate de Zod contra os soldados que tem tem transições de câmera desnecessárias, que parecem tentar esconder o pouco movimento dos modelos CG com viradas de tomadas, isso pode deixar o telespectador perdido em diversos momentos quanto a ação e já foi mostrado em episódios anteriores, como o  primeiro episódio dessa temporada por exemplo é um problema que já é comum na série…

BB.png

Mas houveram momentos muito bem dirigidos nesse episódio como a cena das decapitações, em que a câmera acompanha a ação como se estivéssemos lá,  acompanhamos a arma até o ponto de impacto, sem cortes de câmera desnecessários, em que o impacto é mais evidente, esses momentos são bem dirigidos e me fez pensar que o diretor sabe dirigir ação quando pode, a luta dos soldados também onde cada impacto das armas tinha certo peso… Em geral  boa parte dos combates é bem dirigido, de uma maneira diferente mas bem dirigido, a técnica de acompanhar a arma em cada combate, o peso das armas e armaduras, são o melhor que o anime tem a oferecer em questão de ação e é o que o episódio mais ofereceu nesse episódio.

Quanto a mini trama de Gatts aceitando seu grupo foi uma cena básica, a câmera atrapalhou um pouco na fluidez do momento  pois estava em constante movimento para a esquerda e para a direita, o CG não teve expressão suficiente para  fazer nos importarmos com os personagens mas ao mesmo tempo não houve muitas transições entre 2D e 3D que distraíssem ainda mais o telespectador e os diálogos são bons isoladamente. A cena já se vale pelo diálogo, é uma cena bem simples de se fazer  que mesmo sem expressões faciais pode funcionar se o telespectador não for muito distraído e embora eu tenha citado o problema da câmera se mover distrair um pouco, não foi suficiente para estragar o momento. Cena Ok, cumpre com seu objetivo.

Já a terceira trama gira em torno de exposição, exposição de como funciona o bando do falcão, de quem são os cavaleiros que lutam por Griffith, dos poderes que Griffith tem. Por ser uma cena de exposição e estar mostrando um lugar onde se localiza o bando e esse lugar não ter vida e a maioria dos membros do bando são modelos 3D repetitivos essa foi a pior das histórias.

O objetivo da terceira trama é introduzir um bando, tal bando que é representado por modelos estáticos, clonados que não parecem seres humanos. Tem momentos em que o CG fica sem movimento, parece até que os modelos estão travados ou bugados ,porque do nada param de se mover enquanto outros modelos se movem normalmente e os protagonista se movem é algo muito estranho que é fácil de notar e também existe momentos que a animação 2D também fica estática ou com movimentos simples e repetitivos, parecendo mais um Gif que uma animação profissional.

BB.png

( Os modelos CG ficam parados como estátuas como se fossem fazer um movimento mas não fazem, enquanto o resto dos personagens de movem normalmente igual essa imagem parece que vai haver um movimento mas não vai)

Por quê entre todas as tramas a terceira( Que gira em torno da metade do episódio) é a mais mal executada ? Porque é a única que não conseguiu alcançar seu objetivo. A primeira trama gira em torno de cenas de ação e consegue fazer isso bem, a segunda é sobre Gatts conseguindo aceitar novos companheiros e o anime consegue fazer isso de modo mediano e a terceira é sobre introduzir o novo bando do falcão mas a maioria dos membros são modelos 3D estáticos e repetitivos. O que define a qualidade do episódio é chegar em seu objetivo e isso é uma coisa que a terceira história não consegue.

Ser introduzido a um bando que é composto por 4 membros e vários clones não é alcançar seu objetivo e esse é um problema em diversos episódios de Berserk, ter uma boa intenção no roteiro que não consegue chegar em seu propósito na execussão. Assim como as expressões faciais eram importantes no episódio 1, um bando com mais vida é importante no episódio 3 porque essa deveria ser a intenção do episódio é sobre o que ele gira tematicamente.

Mas os diálogos em si não estão ruins, conhecer os novos personagens que apareceram nesse episódio ( Que tem bom CG), conhecer as táticas de Griffith através de um novo personagem que tem boas expressões foi um mérito dessa parte, infelizmente a questão visual não ajudou com no objeitivo do roteiro.

BB.png

(Vários irmãos gêmeos lutando juntos)

Em compensação a cena de Griffith com os espíritos foi muito bonita e bem executada, fez o episódio encerrar de maneira decente.

Em resumo a primeira metade que de ação foi bem executada e a segunda metade sobre exposição mal executada e já que a segunda trama é muito curta eu diria que o episódio é metade bom e metade ruim em questão de objetivo. Mas agora vou falar um pouco sobre as qualidades e defeitos que percebi nesse episódio.

Direção – Positivo

BB.png

Boa parte das cenas de ação estão bem dirigidas, algumas como a da imagem acima tiveram uma ótima transição entre 2D e 3D, coisa que não se via no anime de 2016. Conseguimos acompanhar as armas e os socos, assim como as cabeças voando.

Outro ponto positivo da direção foram algumas cenas de transição que davam close nos olhos dos personagens para passar de uma cena para outra, foi uma solução criativa de mudança de cenas e esta ligado muito ao olhar dos personagens sobre o acontecimento, principalmente uma muito bonita com um falcão. Isso mostra que o diretor sabe fazer algumas boas transições quando quer.

Direção – Negativo

BB.png

Esse é um problema muito sério que reparei com esse episódio e que incomoda por todo o anime. Por mais que a direção tenha qualidades, como as que citei acima, não será um bom anime se não corrigir esse enorme problema. A câmera vai pra cima, para baixo, para esquerda, para direita, pra frente , para traz, para esquerda de novo, para direita de novo e nunca fica quieta. Está em constante movimento e não tem muita variedade é apenas esquerda, direita , pra frente pra trás, muitas vezes quando isso não pede. Existem momentos que a câmera precisa ficar parada para termos melhor noção sobre a situação mas ela continua se movendo, em momentos de diálogos sérios isso acontece também. É como se não confiasse que o telespectador pudesse ficar quieto e colocasse o tempo todo movimento, até nos momentos em que deveria ficar parado. É algo bem incômoda que me deixou desconfortável durante todo o episódio, nunca fiquei tão irritado com uma direção em minha vida, se quiserem melhorar nos próximos episódios terão que corrigir esse problemas e deixar os momentos de silencio parados e de contemplação sem movimento de câmera, pra mim isso é bem incomodo. Mas essa mania de mover a câmera sem parar vem desde os trabalhos antigos do diretor, pode ser que não seja mudado, vou torcer que ele se corrija nos próximos episódios.

Animação – Positivo

BB.png

A melhor coisa que o CG de Berserk 2017 tem a oferecer são suas armaduras. As armaduras são  mais detalhadas que dos jogos soam com mais forma e peso, tenho a impressão de que existe mesmo metal ai, quando uma armadura é cortada você sente o peso do metal rasgando e são mais bem feitas nesse anime que nos filmes. As armaduras são muito bonitas, tem até transparência, o CG pode ter diversos defeitos mas nesse aspecto conseguiu acertar em cheio. Uma guerra de CGs nesse anime é mais bonita de se ver e sentir os cortes da espada que da trilogia de filmes. Para aqueles que acham que sou hater de CG ta ai uma coisa que em 2D não seria fácil de se fazer e o anime conseguiu.

Outro ponto positivo são os novos modelos em CG, tem mais detalhes em cabelos, rostos mais detalhados, isso nos modelos de personagens de relevância. Os novos modelos melhoraram em relação aos modelos de 2016, embora não tenham ainda expressões faciais destacáveis ainda assim tem muitos detalhes em seu visual, coisa que é difícil de se fazer em CG de baixo orçamento.

Animação- Negativo

BB.png

Os personagens secundários ficam estáticos, as cenas de violência não tem o mesmo impacto, perfurar uma cabeça em CG não tem o mesmo impacto, é como perfurar um boneco. Os modelos são repetitivos, o mesmo homem morre um monte de vezes no mesmo episódio, as expressões são horríveis de feias mas isso tudo me refiro aos personagens secundários, em alguns momentos do episódio os personagens ficam estáticos. Sem falar da cena que coloquei acima.

Em resumo foi um episódio mediano, Berserk 2017 está corrigindo alguns dos problemas de Berserk 2016 mas ainda tem muito a fazer, embora tenha tido muito progresso aqui em relação ao CG. Uma nota 5, e espero que muitos dos aspectos aqui citados ganhem melhoria nos próximos episódios, principalmente em relação a direção que distrai muito. Essa foi a minha opinião critica sobre o episódio e esperando pelo próximo na próxima semana.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s